A Cantora Careca
de Massin

Em A Cantora Careca de Massin, Gustavo Piqueira discute a adaptação gráfica do francês Robert Massin à peça do dramaturgo Eugène Ionesco. Com fotos em alto contraste dos personagens e jogos tipográficos, o artista propôs uma nova forma de ler a obra. Texto e imagem se combinam em um único código de comunicação que transmite o espírito, atmosfera e espacialidade daquela peça.

Esse é o segundo volume da Coleção Gráfica Particular. Como o nome já diz, os livros dessa coleção buscam destacar itens específicos da produção impressa. Seu critério de seleção é assumidamente desorganizado (“particular”, se preferir): valem medalhões, valem obscuros; antigos ou contemporâneos; passadela por obras amplas ou olhar detido sobre algum detalhe; etc, etc. Ela também não demarca territórios nem aponta vertentes. Pelo contrário, aliás. Seu objetivo não é o de direcionar gostos pra lá ou pra cá, mas sim estimular cada um na elaboração de seu cânone gráfico particular.

A Cantora Careca de Massin é o livro nº 31 da Lote 42.

Especificações Técnicas

A Cantora Careca de Massin – Coleção Gráfica Particular autor Gustavo Piqueira ISBN 978–85–66740–34–9 idioma português dimensão 24 x 17 cm edição 1ª, 2018 número de páginas 48 edição geral João Varella e Cecilia Arbolave

A Cantora Careca de Massin – Coleção Gráfica Particular autor Gustavo Piqueira ISBN 978–85–66740–34–9 idioma português dimensão 24 x 17 cm edição 1ª, 2018 número de páginas 48 edição geral João Varella e Cecilia Arbolave

“O leitor terá a oportunidade de pintar cenas maravilhosas do cotidiano, como situações com ônibus lotado, prestações atrasadas, relações familiares, entre outras. O que não pode é seguir o traço fino da arte, há de estabelecer uma perfeita harmonia com o que é proposto (fica a dica!).”

LiteraturaBR

“Alexandra Moraes satiriza moda de obras terapêuticas com sua tira O Pintinho, com traço feito no Paint. Nada de mandalas, flores, passarinhos, florestas encantadas. No livro, as atividades dizem respeito às desventuras da classe média brasileira.”

O Grito!